Fale com a Usina Santa Lúcia | +55 (19) 3547-3955

SOBRE A USL

A HISTÓRIA DA USINA SANTA LÚCIA S/A

Na foto ao lado, Caterina Ometto (sentada, ao centro) com filhos, genros e noras.

Antônio Ometto e Caterina Biasio Ometto, italianos vindos do Vêneto, norte da Itália, chegaram ao Brasil em 1.895, sendo contratados para trabalhar em uma fazenda de café, em Amparo – SP. Em busca de novas oportunidades, vieram morar próximo de Piracicaba – SP. Tiveram vários filhos e, no dia 24 de agosto de 1.895, nasceu Jerônymo Ometto, na antiga Fazenda Morro Grande, localizada entre Santa Bárbara d’Oeste e Piracicaba. Mais tarde, em 1.918, Jerônymo
casou-se com Thereza Colette Ometto, no Sítio Olaria, primeira propriedade adquirida pela família, localizada entre Piracicaba e Limeira.

Nesta propriedade, iniciaram o plantio de cana e a fabricação de aguardente, conseguindo aumentar seus recursos. Em outubro de 1.918, a família Ometto comprou sua primeira fazenda, com cento e quatorze alqueires de terra boa, situada num lugarejo com o nome de Bate-Pau, hoje Iracemápolis.
A família prosperou e possibilitou planos individuais. Quando Jerônymo conseguiu juntar mais dinheiro, comprou sua primeira propriedade. Uma fazenda com duzentos e cinquenta e cinco alqueires, no município de Limeira, com o nome de Santa Lúcia.

Em 1.940, Jerônymo vende suas terras em Limeira para os irmãos e adquiri, em Araras, parte da Fazenda São Joaquim. Como já tinha o registro de ‘Santa Lúcia’, resolveu passá-lo para esta propriedade. Nela constrói um alambique mais sofisticado, realiza benfeitorias, faz casas, inicia o plantio de cana-de-açúcar e a produção de aguardente.

Durante a guerra, ampliou a fábrica montando uma destilaria com produção de 6.000 litros de etanol por dia.

Em 1.947, com autorização do governo, montou uma usina de açúcar, quando instalou a primeira moenda construída pela Dedini, com bitola de 20 x 36 polegadas.
O lucro foi sendo reaplicado e, em 1.950, comprou mais um pedaço de terra próximo da cidade de Leme.
Jerônymo era muito prudente e só fazia negócios tendo o dinheiro na mão. Com isso, o crescimento da usina foi ocorrendo devagar, mas com muita segurança.
Em 1.945, seu filho Narciso foi morar em São Paulo para terminar o colégio e, em 1.946, iniciou o curso de Engenharia Industrial na Escola de Engenharia Mackenzie, hoje Universidade Mackenzie.

Em 1.950, Narciso terminou os estudos e em 1.951 vem para Araras para trabalhar junto com seu pai, Jerônymo. Narciso casou-se com Miriam Krug Ometto, em fevereiro de 1.953, e tiveram 03 filhos, Sandra, Cristiana e César.
Jerônymo Ometto desenvolveu suas atividades até o dia 09 de setembro de 1.974, quando veio a falecer com 79 anos de idade. Seu filho Narciso, que assimilou todo o conhecimento do pai, assumiu então, a Presidência da Usina Santa Lúcia.

SGSA

Política de Segurança de Alimentos

A Usina Santa Lúcia, produtora de açúcar e etanol, assume o compromisso em:

  • Atender os requisitos legais, regulamentares, estatutários e dos clientes, aplicáveis à segurança dos alimentos;
  • Oferecer produtos livres de contaminação aos nossos clientes;
  • Comunicar ao longo da cadeia produtiva de alimentos, os aspectos relevantes de segurança de alimentos;
  • Implementar melhoria contínua em seus processos e produtos.

MEIO AMBIENTE

A Usina Santa Lucia sempre primou pela manutenção do meio ambiente, quer na qualidade de suas reservas florestais, que além das espécies preservadas, conta até hoje com um plantio adicional de mudas nativas das mais diversas espécies, áreas de preservação permanente ou na proteção de suas nascentes, e não obstante disso, inaugurou oficialmente o “Departamento de Meio Ambiente”, o qual foi devidamente instalado e anexado ao seu Departamento de Engenharia, retificando assim sua nomenclatura para “Departamento de Engenharia e Meio Ambiente”. Criou-se a partir daí uma equipe multidisciplinar, formada com engenheiro e técnicos que atuam nas áreas de engenharia e meio-ambiente de forma integrada com outros departamentos da empresa em: licenciamentos ambientais, desenvolvimento e implantação de projetos, recepcionamento das entidades pertinentes ao Meio Ambiente, políticas e ações, que objetivam a fiscalização e a preservação do Meio Ambiente, perante a todos os órgãos relacionados a esta matéria. Além disso o departamento atua também em a parceria com a Copersucar e a Única no âmbito da sustentabilidade, tema tão abordado atualmente no mundo inteiro, tendo dois relatórios publicados com cada uma das entidades.

A usina promoveu através deste departamento no ano de 2009, a primeira Eco Santa Lucia tendo como foco medidas de cunho sócio-ambiental e de educação ambiental: envolvendo ações de divulgação e conscientização sobre questões ambientais adequadas, valorização de ações de redução da geração e reaproveitamento de resíduos, reciclagem e outras iniciativas voltadas a sustentabilidade e à ecologia industrial. 

Para este evento a empresa firmou parceria com a AEHDA – Associação de Educação do Homem de Amanhã, com sede na cidade de Araras, SP, para que através do eng° Jose Mauro Oliveira Araújo, fossem ministradas palestras de educação ambiental e distribuição de mudas de árvores nativas para os alunos das escolas localizadas no jardim Cândida, bairro vizinho à usina, no município de Araras. Atualmente o departamento orienta parceiros agrícolas e fornecedores nas ações de preservação e recuperação das matas ciliares e outras demandas ambientais exigidas pelas legislações municipal, estadual e federal.

A Usina Santa Lúcia S/A, no dia 04 de junho de 2007, aderiu de forma voluntaria aos termos do Protocolo Agroambiental, comprometendo-se a cumprir todas as diretivas técnicas descritas no referido documento do Setor Sucroalcooleiro, juntamente em compromisso firmado com a União da Indústria Sucroalcooleira de São Paulo (UNICA) e com o Governo do Estado de São Paulo, através da Secretaria do Meio Ambiente e da Secretaria da Agricultura e Abastecimento.

As diretivas contemplam:

  • Não utilizar a prática da queima da palha e da cana-de-açúcar para fins de colheita;
  • Adotar ações para que não ocorra a queima, a céu aberto, de qualquer subproduto da cana-de-açúcar;
  • Proteger as áreas de mata ciliar das propriedades canavieiras, devido à relevância de sua contribuição para a preservação ambiental e proteção à biodiversidade;
  • Proteger as nascentes de água das áreas rurais do empreendimento canavieiro, recuperando a vegetação ao seu redor;
  • Proposição e implantação de plano técnico de conservação do solo;
  • Proposição e implantação de plano técnico de conservação dos recursos hídricos e minimização do consumo de água;
  • Adotar boas práticas para descarte de embalagens vazias de agrotóxicos.
  • Adotar boas práticas destinadas a minimizar a poluição atmosférica de processos industriais e otimizar a reciclagem e o reuso adequados dos resíduos gerados na produção de açúcar e etanol.

DESCARTES DE RESÍDUOS

A Usina Santa Lúcia se preocupa com o meio ambiente e por isso possui maneira corretas de fazer os descartes dos seus resíduos.

SESMT

SESMT – Usina Santa Lúcia

Médico do Trabalho: Carlos Roberto Vargas Wiggert
Engenheiro de Segurança do Trabalho: Flávio José Baroni
Técnico de Segurança do Trabalho (Indústria): Maicon Luciano Vicente
Enfermeiro (Indústria): Gilberto Ademir da Silva
Técnico de Segurança do Trabalho (Agrícola): Antônio Carlos Vechietin
Técnico de Segurança do Trabalho (Agrícola): Ederson Muríllo Vian
Enfermeiro (Agrícola): Willian Caetano da Silva

COLABORADORES

Número de colaboradores da Usina Santa Lúcia (média anual de 2018)

Fechar Menu